Pai de atirador dos EUA acredita em ataque homofóbico

Omar Meteen em sua foto de perfil no MySpace. Para o pai de Meteen o ataque foi um ataque homofóbico (myspace)
O pai de Omar Meteen, Mir Seddington, afirmou que não acredita que o ataque do filho tenha motivação religiosa e apontou a homofobia, como a caixa mais provável, segundo reportagem do El País.
"Não tem nada a ver com religião", afirmou Seddique, que contou ainda que o filho ficou irritado ao ver dois homens se beijando, há cerca de dois meses. Segundo a ex-mulher do atirador ele era violento e desequilibrado e a agredia com frequência, segundo o Washington Post.
Em um post no Facebook a boate pedia para "Que todo mundo saia da Pulse e comece a correr", minutos após os tiros, cerca de 300 pessoas estavam no local.
Segundo um frequentador do local quando ouviu rajadas de tiros saiu correndo pela parte de trás do prédio, afirmou Ricardo. "Pensei que era parte da música até que vi o fogo de sua pistola", disse Rosie Feba, segundo o El País.
O ataque é maior atentado desde o 11 de setembro em 2001 e deixou ao menos 50 pessoas mortas, segundo a imprensa internacional. Segundo a Reuters um grupo islâmico postou nas redes sociais uma foto de Meteen.

LEIA MAIS

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.