Emissoras deveriam se unir e propor debate único - geraldopost

Opinião, Informação e Entretenimento.

Emissoras deveriam se unir e propor debate único

Emissoras deveriam se unir e propor debate único

Share This

A campanha presidencial está a todo vapor, de um lado Jair Bolsonaro (PSL) e de outro Fernando Haddad (PT). Propostas à parte, o Brasil caminha para um fato histórico: pela primeira vez desde a redemocratização não haverá debate entre presidenciável ano segundo turno das eleições. O candidato Bolsonaro estava proibido, pelos médicos, de participar de debates até quinta-feira (18), porém faz lives nas redes sociais e faz campanhas em locais fechados.

O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, disse que o candidato não participará de nenhum debate. Bolsonaro disse, segundo o jornal O Globo, que pode ter problema na bolsa de colostomia, ele está liberado pelos médicos porém com restrições.

“Ele (Bolsonaro) não tem obrigação de comparecer”, disse Bebianno, presidente do  do partido. O candidato passo pelo pior momento de sua campanha, após o jornal Folha de S Paulo publicar uma reportagem denunciando que empresas pagam até R$ 12 milhões para divulgar mensagens contra Fernando Haddad, do PT. Bolsonaro pode ter a chapa cassada.

FACADA

Bolsonaro, como se sabe, foi vítima de uma facada no dia 6 de setembro 2018, enquanto fazia campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais. Eles ficou 20 dias internado, após passar por três cirurgias. No dia 27 de setembro, não foi ao debate da TV Globo, por recomendação médica, mas deu uma entrevista à Record TV, arqui-inimiga da emissora dos Marinho. Para provocar a Globo, a Record TV exibiu a entrevista no mesmo horário do debate, alcançou audiência pífia.

Não foi a primeira vez que um candidato à presidência não comparecia a um debate da Globo, então líder absoluta de audiência e quem apresenta o último debate entre as redes de televisão. Em 2006, Luis Inácio Lula da Silva, também não compareceu a um debate na Globo, decidiu participar de uma passeata/comício que já estava na agenda oficial, Lula tentava na época a reeleição e ganhou o pleito. Os debates do Segundo Turno, estavam programados para começar no dia 12 de outubro, mesmo dia do início do horário político nas emissoras de Rádio e TV. Com a proibição médica a Band, que historicamente faz o primeiro debate na TV, decidiu pelo cancelamento. A Rede TV! faria o debate no dia 15, que também decidiu por cancelar o evento.

"Eu levei uma facada, não foi… Não era rinite, igual o Haddad teve e ficou sete dias sem ir (à prefeitura) de São Paulo. Perdi dois litros de sangue, cortou o intestino grosso, fezes se espalharam por todo meu organismo. Fui submetido a uma segunda cirurgia no dia 12, que começou às 9 horas da noite e terminou às 5 horas da manhã. Não foi uma brincadeira. Eu perdi 15 quilos, foi um atentado”, declarou Bolsonaro segundo o site da revista Exame"Tudo na política é estratégia. O Lula não compareceu ao debate, o último da Rede Globo, em 2006 se não me engano. Entra tudo no meio, eu decido em equipe", completou o candidato.

Lula não compareceu ao debate do primeiro turno das eleições em 2006, realizado pela Globo, que foi realizado apenas entre Geraldo Alckmin (PSDB), Heloísa Helena (PSOL) e Cristóvam Buarque (PDT), como GERALDOPOST relembrou há duas semanas. Em 2006, Lula venceu a eleições com 60,83% dos votos, contra 29,17% de Alckmin. Em 2010, Dilma Rousseff (PT) não participou do debate realizado pela TV Gazeta e pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Percentual parecido com as pesquisas atuais do Ibope (Bolsonaro 65% e Haddad 35%) e do Datafolha (Bolsoaro 59% e Haddad 41%).

ILEGAL

Segundo o site Exame.com se a Band e a Rede TV! resolvessem fazer o evento, mesmo sem a presença de Bolsonaro, as emissoras seria poderiam ser notificadas e denunciadas por darem espaço apenas para Haddad, para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) todos os candidatos devem ter tratamento igual, com a presença apenas de Haddad isso não iria acontecer.

UNIÃO DAS EMISSORAS

Em 1989, nas primeiras eleições diretas após o fim da Ditadura Militar, o debate entre os candidatos à Presidência da República foi exibido ao vivo em uma união de quatro emissoras: Globo, SBT, Bandeirantes e Manchete. As emissoras fizeram um debate único entre os 10 principais candidatos à Presidência da República (de um total de 23 postulantes), no dia 3 de dezembro daquele ano nos Estúdios da TV Manchete. Outro debate, foi realizado no dia 17 de dezembro de 1989, três dias antes do segundo turno nos estúdios da Bandeirantes.

Reprodução/Memória Globo
A apresentação ficou a cargo de Marília Gabriela, Boris Casoy, Eliakim Araújo e Alexandre Garcia, como mostra a imagem acima reproduzida do site Memória Globo. No dia seguinte, a Globo exibiu duas reportagens que causaram grande polêmica e que até hoje são lembradas e apontadas como manipuladoras, anos depois quando lançou o site Memória Globo, a emissora assumiu que as reportagens como "Erros". A emissora relata que as reportagens causaram grande polêmica: "A primeira por apresentar um equilíbrio que não houve, e a segunda por privilegiar o desempenho de Collor", explica a emissora. "Mas foi a segunda que provocou grande polêmica. A Globo foi acusada de ter favorecido o candidato do PRN tanto na seleção dos momentos como no tempo dado a cada candidato, já que Fernando Collor teve um minuto e meio a mais do que o adversário", completam.

DEBATE ÚNICO

Nas Eleições 2018, um grande passo contra a democracia está em curso, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) se nega a ir a debates, usando atestados médicos para não comparecer a debates, mas marcando atos públicos.

Bolsonaro, levou uma facada no dia 7 de setembro, durante a campanha eleitoral na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. A partir de então, passou por cirurgias e ficou 20 dias internado, quando saiu não compareceu ao debate da TV Globo, que foi realizado no dia 28 de setembro, decidiu apenas conceder uma entrevista para a Record TV, que em tom de provocação exibiu a entrevista no mesmo horário o debate.

A Record TV, como bem se sabe é de Edir Macedo, que tem também jornais e a Igreja Universal do Reino de Deus, Macedo anunciou em suas redes sociais o apoio a Bolsonaro. Se Bolsonaro não pode ir a todos os debates, sendo provavelmente liberado apenas para os dois últimos, seria ideal que as emissoras de unissem para transmitirem apenas um debate, deixassem as desavenças e fome de audiência de lado e se unissem para transmitir um ato pela democracia.

Seria um passo importante pela democracia, mas o que tudo indica é que emissoras como Band e Record TV, por exemplo, jamais fariam isso. Segundo o jornalista Noblat a Band e a Record TV deu ordens para jornalistas fazerem reportagens contra Haddad e a favor de Bolsonaro, Noblat denunciou este jornalismo tendencioso em sua conta no Twitter.

Após anunciar que não iria participar do debate na Band, o primeiro do segundo turno e um dia antes de começar o horário político, que seria no dia 11, a emissora mudou o debate para o dia 19/10. Bolsonaro está impedido de participar de debate, pelos médio até quinta-feira (18). Segundo o jornal O Globo, a campanha de Bolsonaro estuda a participação nos debates da Record TV e da Globo.

Pages