About Me

Madonna é a madrinha 111,3 milhões de pessoas em todo o mundo

Madonna cantou no intervalo da final do Super Bowl, a decisão do campeonato de futebol americano - o que é equiparado como a final de uma novela das 21h no Btrasil - entre os times New York Gigants e New England Patriots em Indianópolis, nos Estados Unidos. Com uma apresentação de 12 minutos Madonna cantou "Vogue", "Music", "Party roch Anthem", "Give me all your luvin" e "Like a prayer" na maior demonstração do poder de rainha do pop que conquistou em uma carreira formidável.
Em uma palco repleto de efeitos em 3D, Madonna mostrou todo o poder de ser uma diva para milhões de pessoas em todo o mundo, levando 8 mil mensagens por Twitter por segundo durante sua apresentação, o campeonato estadunidense bateu todos os recordes na rede social levando 12.233 tuites por segundo nos três minutos finais do jogo.
Madonna sempre foi e sempre será a rainha do Pop, nunca foi uma grande cantora - por limitações vocais que abrange boa parte da leva de divas do pop como Britney Spears, por exemplo -, afinal nunca colocou a voz para valer em nenhuma apresentação. Diferentemente das divas de hoje como Lady Gaga, Beyoncé, Adelle e a inesquecível Amy Winehouse, Madonna foi muito além de ser uma excelente cantora, ela fez a diferença em sua época, foi o símbolo da liberdade sexual, levantou bandeira dos gays e das mulheres enfrentando uma enxurrada de críticas de preconceito, levando então o título de diva e rainha pop.
Madonna é sim a maior cantora pop da história, não à toa, o título de rainha do pop que cai como uma luva, ela fez tudo aquilo que as novatas do século XXI tentam fazer e caem em na armadilha da repetição, transformou uma década, ou melhor, um século com seu poder de agregar diferentes culturas com uma sua música deliciosamente dançante, Madonna é sim a rainha dos gays, do pop, das mulheres, afinal, o que seria da liberdade sexual sem esta diva? Nada.
Madonna, a madrinha 111,3 milhões de pessoas no mundo todo.

Postar um comentário

0 Comentários