About Me

"A decisão precisa ser pensada, porque o país é muito conservador" João Emanuel Carneiro sobre 'beijo gay'

Daniel Costa, Otávio Augusto e Thiago Martins em cena de 'Avenida Brasil' (reprodução)
Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo deste domingo (22) o autor de Avenida Brasil, João Emanuel Carneiro disse "A decisão precisa ser pensada, porque o país é muito conservador. O medo de as pessoas mudarem de canal é legítimo" explicou o novelista à repórter Elisangela Roxo, publicada na Ilustrada de hoje.
A reportagem que mostra todo o sucesso da personagem Carminha, magistralmente interpretada por Adriana Esteves, mostra o quanto a sociedade brasileira é hipócrita, é uma personagem altamente caricata, má e de uma falta de índole insensata, mas quem na novela não é mau caráter?
O beijo gay é sempre um tema recorrente a cada novela que começa, coisa já velha, que vem a cada ano ganhando cada vez mais visibilidade na mídia, é uma fogueirinha para conquistar audiência, o negócio é seguinte: coloca um gay em cena e joga fogo e é a sociedade quem vai salva-lo ou deixar o fogo consumi-lo. É uma tática de polêmica no custe o que custar.
O personagem da vez é o 'fofo' Roniquito, interpretado pelo ótimo Daniel Costa, que desde a primeira cena deu o tom exato ao personagem, mas para pegar ainda mais fogo é um jogador de futebol (quem uma ´decada que a rivalidade de torcidas organizadas se matam nas ruas). Mas o personagem já logo de cara mostrou uma personalidade nada afável e já mostrou, que não engana todo mundo, a mesma periguete já deu a entender que sabe do seu 'segredo'.
Vai ser neste ponto que a nova polêmica estará armada, o despertar da homossexualidade no desejo pelo amigo Leandro, interpretado por Thiago Martins, que em outrora era um homofóbico assassino. No final das contas, depois das críticas excessivas que Aguinaldo Silva recebeu pelo personagem Crô (Marcelo Serrado), o autor está na contra-mão do antecessor, o seu gay levemente afeminado, com um perfil bem no biotipo do desejo do homossexual da vida real, é o macho em cena, é o produto sendo vendido

Postar um comentário

0 Comentários