About Me

A cada 20 horas, um LGBT foi assassinado em 2018


Segundo relatório do site HomofobiaMata, editado pelo Grupo gay da Bahia - GGB, a cada 20 horas um LGBT foi assassinado em 2018, o relatório é atualizado e publicado através de manchetes de notícias publicadas nos mais variados veículos, além de um contato direto do GGB com a Polícia.

O pico de assassinatos, desde o começo do milênio, foi em 2017 em que 445 LGBTs foram mortos, é importante ressaltar que, no relatório, heterossexuais confundidos com homossexuais, ou pessoas que não se consideram LGBTs, também são contabilizados, como o vendedor ambulante Luis Carlos Ruas, que foi atacado ao defender um morador de rua, que é homossexual. O ganhou ganhou destaque pela falta de segurança na estação do Metrô e pela crueldade da morte, em 2016.

Capa do relatório de 2018 disponível no site (homofobiamata.wordpress.com)

"420 LGBT+ foram vítimas no Brasil de morte violenta: 76% homicídios e 24% suicídios, 45% gays, 77% com até 40 anos, 58% brancos, predominam profissionais do setor terciário e prestação de serviços, 29% mortos com armas de fogo, 49% na rua, apenas 6% dos criminosos identificados", aponta o relatório. Entre os casos de suicídio, predominam os seguintes dados: "60% gays, 66% brancos, 84% com até de 30 anos, 15% enforcamento".