'Especial Roberto Carlos' é mais do mesmo em tom popularesco - geraldopost

Opinião, Informação e Entretenimento.

'Especial Roberto Carlos' é mais do mesmo em tom popularesco

'Especial Roberto Carlos' é mais do mesmo em tom popularesco

Share This
Momentos finais do 'Especial' Roberto Carlos 40 anos de Globo com o 'rei' interpretando 'Champanhe'

 Mais desnecessário do que ter Anitta Poderosa (sic) foi ver suas bailarinas rodopiando e fazendo micagens disfarçadas de coreografias no palco
Entra ano e sai ano e lá vem Roberto Carlos com todas as suas Emoções e Detalhes tão pequenos de nós dois, nada de mais batido e chato se apresenta na televisão brasileira do que esses especial de Fim de Ano que mais nos dá descontentamento do que qualquer coisa.
A Globo que não é boba nem nada sempre divulga seus programas nas entrelinhas a cada outro programa exibido, com Lulu Santos não foi diferente. Ele entrou no palco e cantou 'As curvas da estrada de santos' e até dançou no palco, não precisava de tanto. Depois Roberto como de costume cantou uma música do convidado e pronto, Lulu puxou o coro 'Rei rei rei o Roberto é nosso Rei'.
Seguiram-se as participações, todas no mais alto nível de chatice. Erasmo Carlos mais batido do que 'Jesus de Nazaré' na programação da Record, foi ali apenas para cantar sua dispensável versão de 'Além do Horizonte', música tema da novela homônima das 19h. 
Tiago Abravanel entrou aos berros 'como Tim Maia', coitado do nosso grande Tim que deve ter se revirado no caixão e por sorte a sempre 'piradinha' Valdirene, Tatá Werneck, entrou no ar como canastrice pura, em nenhum momento se soube que a piradinha usava óculos apesar de suas micagens em cena na novela das nove, mas Tatá foi além do possível e fez rir, com seu estilo típico da MTV que ela tanto repete na novela de Walcyr Carrasco, nunca se sabe se ela está interpretando ou seja ela mesma em qualquer lugar em que se vai, é sempre engraçada quase chegando ao ponto de ser forçada, mas ela se supera sempre.
Roberto Carlos que fez milhões de amigos nos palcos brasileiros e invadiu casas com suas músicas bregas e românticas, perdeu todo o patamar do bom senso nos últimos anos tentando se popularizar ainda mais, beirando o ridículo. Quando o vimos cantar 'Se ela dança eu danço' de Mc Leozinho há oito anos, com a pegada funk que ficou até que 'bonitinho' (feio arrumadinho) ontem o vimos completamente travado com 'O show das poderosas' da insonsa e chata Anitta.  Mais desnecessário do que ter Anitta Poderosa (sic) foi ver suas bailarinas rodopiando e fazendo micagens disfarçadas de coreografias no palco, um horror.
Fátima Bernardes entra no palco 'não para cantar' (ufa!) e sim para homenagear 'o rei' com um troféu mais do que merecido pelos seus 40 anos de Globo, no telão um clipe com melhores momentos dos especiais mostravam encontros antológicos com Maria Bethânia, Chico Buarque, Regina Duarte, Fafá de Belém, Alcione e muitos outros, este foi sem dúvida a melhor parte da noite, para que pudesse humilhar as famigeradas participações deste ano.
Mas a 'breguice' não teria chegado ao fim, eis que Roberto canta 'Champanhe' e os convidados, figurantes na sua maioria, se estapeavam por uma taça na plateia.
Desliguei antes do fim, será que rolou Jesus Cristo eu estou aqui?

Pages