#LiberdadeLiberdade: Cena de amor e sexo entre homens gays é exibida pela Globo; assista

A Globo ousou - finalmente - e exibiu a cena em que os personagens André (Caio Blat) e Toletino (Ricardo Pereira) transam na novela 'Liberdade Liberdade', na noite de terça (13).
Após um diálogo emocionante que mostrava a o companheirismo e o respeito entre os personagens, André foi beijado por Tolentino e eles se entregaram à uma noite de sexo, em uma época que a homossexulidade era tratada como pecado e era proibida, tendo como sentença a morte.


A trama de André e Tolentino foi construída lindamente, André desde a primeira aparição na trama era o 'somodita' - termo designado aos homossexuais na época -, Tolentino foi criando uma afeição pelo amigo, mesmo mantendo uma relação amorosa com uma mulher.
Os dois apesar de viver em uma época, do Brasil Colônia, mostram como a homossexualidade ainda está sendo tratada como pecado pelas pessoas, na história já é quase que certo que o final de André seja de fato a morte, enquanto Tolentino acaba se escondendo no armário, é uma trama bem atualizada para o contexto dos tempos modernos em que vivemos.
Temos muitos "Andrés" morrendo e sendo punidos no dia-a-dia e muitos "Tolentinos" se escondendo em casamentos 'falsos'.


COMEMORAÇÃO
A cena foi e está sendo comemorada e criticada, líderes religiosos da direita e do conservadorismo, tem destilado o veneno contra a produção, porém muitos homossexuais e lideranças LGBTs tem comemorado a exibição da história e mais precisamente do beijo e sexo entre gays.
Porém, nem tudo são flores e muitos homossexuais tem criticado a situação, falando que o esteriótipo de que o afeminado é passivo ainda tem dominado o imaginário popular. A cena é importante, principalmente pela abordagem e pelo contexto em que foi inserida e foi alçada ao sucesso chegando aos Trends Topic mundiais no Twitter e dando à Globo 17,4 pontos de audiência.
TABU
Um dos maiores destaques em retratar o público LGBT foi o autor Manoel Carlos, que em 2003, tinha como destaque na novela Mulheres Apaixonadas as personagens Clara e Rafaela, interpretadas por Alinne Moraes e Paula Picarelli, o desenrolar a trama foi tão impressionante que elas tiveram final feliz com um selinho dado em cena, elas faziam Romeu e Julieta em uma montagem na novela e se beijavam no final.
O beijo gay sempre foi um tabu para a Globo, até mesmo o SBT exibiu o beijo entre pessoas do mesmo sexo antes dela, durante a novela Amor e Revolução (2005). Na novela América (2005/2006) a autora Glória Perez que sempre foi uma das autoras que mais abordou o assunto em suas novelas, escreveu a cena que chegou a ser gravada, porém a emissora não a exibiu, na época grupos LGBTs se organizaram para boicotar a próxima novela da emissora em forma de protesto.
Nove anos depois na novela Amor à Vida (2013) a emissora resolveu exibir o beijo entre Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso), porém foi escolhida a exibição de uma cena mais contida mostrando mais um selinho entre os personagens. A cena foi comemorada e criticada nacionalmente.
Em 2015 no primeiro capítulo da novela Babilônia, de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga as personagens Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathália Timberg) se beijaram no primeiro capítulo, menos de cinco minutos depois da novela começar e como a novela enfrentou sérios problemas de audiência, o beijo entre as personagens lésbicas foi 'tachado' como um dos responsáveis pela fuga dos telespectadores.
Até Amor à Vida, todas as novelas que tinham personagens gays a Globo tinha que explicar a não exibição do 'beijo gay' e sempre dizia que o telespectador não estava preparado para a cena, porém a homossexualidade sempre foi retratada de forma negativa e positiva pelos novelistas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.