"A Força Do Querer" discute gênero e sexualidade e divide opinião de transexuais e travestis

Cena da novela de Gloria Perez explica que gênero e sexualidade são coisas diferentes; Se os transgêneros são abordagem de forma correta os transexuais e travestis são abordados de forma incorreta


Ivana mostra para a sociedade brasileira os dramas dos transexuais/transgêneros (TV Globo)
O Brasil acompanha atento o drama de Ivana (Carolina Duarte) em "A Força Do Querer", novela de Gloria Perez que discute a identidade de gênero no horário mais caro e badalado da televisão brasileira. Ivana desde o primeiro capítulo - exibido em 3 de abril -, e posteriormente Nonato (Silvero Pereira), mostram para o público as dores e os problemas que transgêneros, travestis e transformistas passam em todo o mundo: do preconceito velado ao preconceito escancarado como as agressões físicas e os assédios de colegas de trabalho.

Diversas cenas explicativas sobre o que é ser transgênero/transexual, travesti e transformistas são levadas ao ar quase que diariamente e fazem a sociedade refletir sobre os preconceitos que estes cidadãos passam no ambiente familiar, na rua ou no trabalho. Nonato, interpretado pelo estreante na TV Silvero Pereira, e um craque no domínio dramatúrgico dos palcos, teve que mentir para o patrão sobre o 'cabelo de marica' que usa: "Minha mãe fez uma promessa", explicou o rapaz que coleciona cenas de humor e cenas dramáticas, como as de agressão no meio da rua.






Nonato é um ator transformista que luta para levar para os palcos um show de sua autoria em homenagem à duas divas da música brasileira, Elis Regina e Carmem Miranda, longe do patrão, usa da identidade de Elis Miranda, como um alter-ego no qual se identidade como pessoa. É justamente neste personagem, que Gloria Perez aborda o travestismo (o uso da vestimenta feminina por homens pela sua identificação com o sexo oposto) e o transformismo (homens que usam da vestimenta feminina para fazer shows). Não tem como abordar dois assuntos tão complexos com a mesma pessoa, a travesti e o transformista são coisas diferentes.

GERALDOPOST entrou em contato com Symmy Larrat, presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais - ABGLT para comentar o assunto: "Ela [Gloria Perez] coloca o Nonato como uma travesti que vivesse sua identidade só no palco, que isso seria uma interpretação do feminino, quando que na vida real, a travesti assume vinte e quatro horas a sua identidade e não só em determinado momento da vida", explica Larrat que continua: "Quando é em determinado momento da vida, isso é transformismo e não travestilidade."

"O que difere uma mulher trans e uma travesti é um sentimento íntimo, que nada tem haver com o mundo externo, e ao diferenciar isso ela coloca as travestis no campo do não é mulher e reforça todo o esteriótipo", diz Larrat, que foi a primeira Coordenadora do Coordenadora-geral de Promoção dos Direitos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, no Governo Dilma Rousseff (PT).

"Para constituir nosso corpo feminino, por vezes, travestis fazem inclusive mais intervenção do que uma pessoa transexual, por vezes, isso não é uma regra", explica Larrat que foi coordenadora do projeto Transcidadania na Cidade de São Paulo, da Prefeitura de São Paulo, para comentar sobre o assunto.

Associação Nacional de Travestis e Transexuais - ANTRA, em nota, critica a postura da novelista sobre esta abordagem dúbia: "Travestis e Mulheres Transexuais tem identidade de gênero feminina, homens Transexuais tem identidade de gênero masculina. Ou sejam não se reconhecem pertencentes ao gênero atribuído no nascimento. Travestis não representam uma coisa que ela não seja, ela não é um falsete como a novela mostra nalguns diálogos, especialmente quando é associada com a identidade gay, o que também não é correto, pois gay é uma identidade masculina", em nota publicada no Facebook.

"Travestis vivenciam sua Travestilidade socialmente, diariamente, 24 horas por dia, não nos 'vestimos' a noite para vivenciar uma interpretação do feminino, somos parte do feminino", continua a nota comparando com a situação dos transformistas.

GÊNERO E SEXUALIDADE

Outra cena que chamou a atenção do público foi a explicação sobre a sexualidade de Ivana, que mesmo se identificando com o corpo masculino ela continua tendo atração por Cláudio (Gabriel Staufer), explicando ao público o que é gênero (homem ou mulher) e sexualidade (heterossexual ou homossexual). Ivana descobriu que embora troque de gênero, do feminino para o masculino, ela não perdeu o interesse pelo desejo masculino, assim sendo, um homem trans gay.

A terapeuta Eva explicou o que é gênero e sexualidade, confusa sobre a transição em que está passando, Ivana procurou saber como que o interesse pelo Claudio (Gabriel Stauffer) continuou intacto. A cena foi exibida de forma simples e explicativa:

"Você está mudando de gênero, não de sexualidade. São coisas diferentes! As pessoas nascem homens ou nascem mulheres. Mas a sexualidade delas pode estar dirigida para pessoas do mesmo sexo ou para pessoas de sexo diferente. Homens e mulheres podem ser héteros ou podem ser gays", disse a terapeuta.

Ivana é apaixonada pelo rapaz com quem perdeu a virgindade, porém fica confusa com este sentimento, afinal para ela "se tornar" homem, iria afetar o seu sentimento e a sua sexualidade. É neste momento em foi surpreendida pela terapeuta: "Se você completar essa travessia, será um trans homem gay", completou Eva, explicando que a sexualidade e gênero são coisas distintas.


GERALDOPOST procurou ajuda de um psicólogo para explicar a orientação sexual de Ivana:

"Ao contrário do que muita gente pensa, ser transexual/transgênero não necessariamente é ser homossexual. Essa questão causa muitas dúvidas em quem não está familiarizado com o universo das pessoas Transexuais. É comum a confusão de que ser um homem ou mulher transexual é, logo, ser homossexual", explica o psicólogo Paulo Alencar.

"Mas gênero, que é a percepção individual de cada um sobre ser homem, mulher ou algo a mais, não é sinônimo de orientação sexual", continua o psicólogo. "Ser uma pessoa trans não significa necessariamente ser homossexual. Se for uma mulher trans e gostar de outra mulher, ela é lésbica, e se for mulher trans e gostar de homem, é heterossexual e por aí vai…", explica Alencar no artigo "Ser trans não necessariamente é ser homossexual" especialmente para GERALDOPOST.

HORMÔNIOS

Ao longo dos últimos capítulos a personagem passou a aplicar hormônio masculino sem se consultar com um endocrinologista. De forma didática, sem ser piegas Gloria Perez explica de forma simples o perigo do uso de anabolizantes por conta própria, as cenas foram muito criticadas na internet, embora inserida em um contexto de folhetim, ou seja, dentro de cenas avulsas, desde o primeiro momento a terapeuta Eva, criticou esta ação de Ivana.


"Não faça isso Ivana, não sem antes consultar um endocrinologista, não pode ser assim. É até perigoso...", disse a terapeuta no capítulo que foi ao ar no dia 9 de agosto.

Na internet transexuais elogiam a atuação de Carolina Duarte e a coragem de Gloria Perez em abordar o assunto. GERALDO POST entrou em contato com um deles para falar sobre o uso de hormônios. "Eu não tomei [de forma ilegal], por que quis esperar fazer acompanhamento com médico... Mas infelizmente a maioria toma por conta devido a questões financeiras e falta do apoio da família", conta Gabriel Vitchenzo de 25 anos, transgênero e faz comentários sobre a novela em sua rede social. "A terapia hormonal, por conta causa muitos riscos tanto no saúde física quanto na mental, tem que ter acompanhamento médico. Mas infelizmente a maneira que muitos tem é comprando receitas e testosterona pela internet", completa.

Vitchenzo deu um depoimento exclusivo para GERALDOPOST sobre a novela "A Força do Querer", comentando as etapas que Ivana está passando: "A cena em que Ivana sai pela primeira vez à rua e sofre transfobia e homofobia, por apenas estar com roupas ditas 'masculinas', me fez voltar no tempo. Me lembrei das várias vezes na adolescência, as palavras horríveis que eu escutava por ser 'Diferente'. Agressões verbais, emocionais e físicas", conta.

VIRADA

Ivana corta o cabelo e assunto a identidade masculina: Ivan (TV Globo e Estevam Avellar)
Nos próximos capítulos Ivana vai contar para a família sobre a sua descoberta e sua decisão em assumir seu gênero de identificação, o masculino. As cenas começam a ser exibidas neste sábado (26) e o corte do cabelo, assumindo então a identidade de Ivan está prevista para ir ao ar na terça-feira (29), a atriz cortou o cabelo na quarta-feira (23).

GERALDOPOST entrou em contato com a assessoria de imprensa da Rede Globo que nos pediu um tempo para responder e com a novelista Gloria Perez, que não responderam as mensagens.

ESTUDO

A personagem Ivana é o tema central do trabalho de conclusão de curso de GERALDOPOST, editor deste blog. "A Identidade de Gênero na Novela 'A Força do Querer' - Salvando vidas no Horário Nobre" é um estudo sobre como a abordagem referente aos transgêneros/transexuais, travestis e transformistas está sendo analisada.

GERALDOPOST tem feito postagens especiais sobre o assunto e convidados pessoas para comentar a novela ou cenas da novela, como Paulo Alencar, psicólogo, que escreveu sobre a descoberta de Ivana perante à sua sexualidade, que não foi alterada. Na novela Ivana é apaixonada por um homem cisgênero - pessoa que se identidade com o gênero de nascimento - e não sabia como lidar com isso.

O artigo "Ser trans não é, necessariamente, ser homossexual", Alencar explica como a sexualidade e a identidade de gênero não são coisas opostas e que nem todo transexual/transgênero é homossexual.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.