About Me

TV: A censura disfaraçada de 'politicamente correto'

Depois de tentarem tirar 'Valéria e Janete" do ar, a Globo continua na linha de fogo dos censores

Teresa Cristina (Torloni) duplo alvo dos censores (divulgação)

Censura. É uma simples palavras que causa vertigens e arrepios em muita gente. Aliás, em todo mundo. Foi assim, que na ditadura militar, a grande imprensa, artistas e intelectuais se sentiram no país, repleto de mafiosos covardes, disfarçados de boa-praça que transformaram a vida de muitos brasileiros em um inferno.
O caso mais recente de censura, ou quase, no país foi a tentativa de tirar o quadro de Janete e Valéria do Metrô Zorra, do Zorra Total da Rede Globo, em setembro. Tudo em vão, a Globo, dentro de todo o seu poder, disse que não iria tirar o quadro do ar e não tirou. Ótimo. Agora, a mesma emissora, que é alvo preferencial de 10 a cada 10 censores - continuarei falando assim, pois não há outra definição a este tipo de gente - está novamente sendo 'estudada'.
Segundo a coluna Direto da Fonte de Sonia Racy do Estadão deste sábado (12/11/2011) o Ministério Público está investigando a novela Fina Estampa, por abuso excessivo de álcool, cenas com Teresa Cristina (Christiane Torloni) é o alvo preferencial, pois vive de copo com champanhe em mãos. A novela de Aguinaldo Silva foi analisada e foi constatado, ainda segundo a coluna, que em duas semanas (12 capítulos, estima-se) bebidas apareceram em 50 cenas.
HOMOFOBIA
Além do consumo de álcool exagerado, as cenas, protagonizadas em 90% pela mesma personagem, relatam o abuso de termos homofóbicos. Palavras como "Bichona", "Bicha maldita" e "Bicha dos cachorrinhos frescos" são ditas 'contra' o personagem Crô (Marcelo Serrado). Além das cenas de Solange (Carol Macedo) que aparece com roupas 'sensuais' cantando funk.
HISTÓRICO

Ângelo Antonio e Flávia Alessandra posam juntos,
eram casados na novela Duas Caras, 2004 (Divulgação/TV Globo)
Não é a primeira novela de Aguinaldo Silva a sofrer com tamanhas demonstração de censura brasileira. Em 2004 a novela Duas Caras mostrava uma prostituta, que se disfarçava de enfermeira interpretada por Flávia Alessandra. Na época o Sindicato da classe entrou com uma ação na justiça e o autor chegou a implodir o estabelecimento que a personagem trabalhava. 

Divulgação/TV Globo
Na novela Laços de Família (2001) a Globo se viu obrigada a tirar menores de idade de cena, por diversos capítulos, pois uma ação os proibia em cena. Ciro Darlan da 1º Vara da Infância e Juventude do Rio, proibiu a novela de entrar antes das 21hs, por ter cenas de violência e conotação sexual. Uma personagem da novela era interpretada pela filha do autor Manoel Carlos e também teve de ser 'retirada', além da personagem Capitu (Giovanna Antonelli) que contracenava com um boneco bebê, pois seu filho na ficção não poderia aparecer, além de outros dois atores mirins.

Postar um comentário

0 Comentários