Morre aos 68 anos, João W. Nery um exemplo de luta e resistência LGBT - geraldopost

Opinião, Informação e Entretenimento.

Morre aos 68 anos, João W. Nery um exemplo de luta e resistência LGBT

Morre aos 68 anos, João W. Nery um exemplo de luta e resistência LGBT

Share This
Morreu, no Rio de Janeiro, aos 68 anos, o ativista LGBT João W. Nery. Considerado o primeiro trans homem a fazer a cirurgia de mudança de sexo no país em 1976, na época, a cirurgia só era realizada de forma clandestina e considerada "mutilação", o Brasil vivia a ditadura e Nery tirou documentos mentindo no cartório.

João foi um dos personagens do Globo Repórter, levado ao ar em Setembro de 2016. “Eu era um ET, porque eu não me sentia mulher, eu sabia que não era um homem como as pessoas definiam, eu não me sentia lésbica. Na pracinha que eu ficava aos 6 anos de idade já me chamavam de Maria Homem. Então passei a não brincar mais na pracinha. É o que acontece com a maioria das crianças, as transcrianças, as crianças trans”, contou o psicólogo.

“Tudo proibido, tudo considerado mutilação do humano. Meu médico foi condenado, não por minha causa, mas por ter feito a cirurgia em 71 numa mulher trans. Enfim, foi terrível”, contou João, ainda ao Globo Repórter.

ANEXO

Em 1984, João escreveu o livro "Erro de Pessoa - o depoimento de um transexual brasileiro que, nascido mulher, finalmente se realizou como homem", hoje considerado uma obra-prima e vendido por mais de R$ 100 na internet e sebos. Em Julho do ano passo, Gloria Perez, contou em seu perfil no Twitter que o livro de Nery a inspirou para escrever "Corpo e Alma" em 1984. "Quis fazer uma minissérie, mas foi considerado inadequado pra época", contou a autora.

LEIA TAMBÉM

Gloria se inspirou na vida de Nery para escrever o personagem Ivan (Carol Duarte) na novela "A Força do Querer", exibida entre maio e outubro do ano passado. Com a novela, Gloria Perez ganhou o Prêmio Cidadania 2018, da Parada LGBT de São Paulo.

GERALDOPOST entrou em contato com a autora e ela disse: "Estou aqui em Lisboa e fiquei sabendo! Muito Triste!!!!". Jean Wyllys, deputado federal pelo PSOL, apresentou em 2013 a PL 5002/2013 – a Lei de Identidade de Gênero "em que visa a garantir, dentre outros direitos, que pessoas trans possam fazer a retificação de documentos e sejam respeitadas de acordo com a sua identidade de gênero somente com a autodeterminação", segundo o G1.

Wyllys lamentou a morte de Nery em uma postagem no Twitter: "Adeus meu amigo. Para mim, foi um privilégio ter te conhecido nessa vida, ter experimentado teu afeto paternal e maternal. Feliz de ter te homenageado em vida. Sentirei saudade doravante. Descanse em paz, João Nery! Te amo!".

Pages