About Me

Em 1998, Globo fez capítulo especial de “Por Amor” (no ar hoje), para conter concorrência

A novela Por Amor está batendo recordes de audiência na tarde da Globo, nesta semana em dois dias consecutivos a novela de Manoel Carlos, exibida originalmente em 1997/98 teve mais audiência que a novela inédita Malhação, e encostou na inédita Órfãos da Terra. Em 1998, para conter a concorrência que apresentava programas de baixaria como Ratinho Livre (Record) e Marcia (SBT).

O Ratinho viveu o auge do sucesso na época, ficava em primeiro lugar em audiência com bastante frequência, porém nunca na frente da novela. Era a novela acabar para as baixarias de exames de DNA e bizarrices irem ao ar. Quando isso acontecia, ele subia na bancada do programa com cassetete em mãos e dançava ao som da trilha do Jornal Nacional.

No capítulo que vai ao ar hoje, em Por Amor, quando Orestes (Paulo José), lê o diário de Helena (Regina Duarte), foi um dos capítulos especiais que a Globo fez para conter esta audiência. A novela, entrou no ar às 20h55 às 22h17, e teve cenas antecipadas. A Globo conseguiu então segurar a audiência da novela, liderando com folga, porém ao acabar a novela o Plantão Médico, exibido na sequência, não manteve a audiência. Ratinho marcou 22 pontos e a Globo 15.

SUCESSO

Hoje, 21 anos após a exibição original, a novela tem marcado audiência alta. Muitas vezes ultrapassa a audiência de programas inéditos. Na terça (13) e na quarta (14) desta semana, a audiência foi maior que o capítulo inédito de Malhação. Na terça a audiência foi 0,3 décimos maior e na quarta 0,5 (meio ponto) superior.

RANKIG

O sucesso de programas “de baixaria” ou “popularesco”, da época, era tamanho que a Globo precisou mudar a grade de programação diversas vezes, hoje não é muito diferente. Na faixa da manhã, vira e mexe a emissora cancela a exibido de programas como Mais Você e Encontro, em alguns momentos foram canceladas também a exibição da programação da tarde, como Sessão da Tarde e Vale a Pena Ver de Novo.



O programa do Ratinho, foi posteriormente, em maio de 1998, eleito pela Folha, como o mais violento. O jornal fez um ranking da baixaria e Ratinho Livre liderou. “O programa 'Ratinho Livre' é o líder de violência na análise feita pelo TV Folha. A audiência do programa também aumenta com isso”, explicava a reportagem no TV Folha, caderno sobre TV extinto. Na capa, a reportagem trazia uma imagem de Carlos Massa “apalpando as nádegas de um homossexual”, dizia a legenda.

Ainda em 1998, com a guerra travada entre Globo e Record, o SBT corria por fora com o programa da Marcia, ali a discussão às vezes era pelo olhar da mulher, a apresentadora, hoje afastada da televisão. A reportagem da TV Folha ouviu os apresentadores, que refutaram o adjetivos de “programa de baixarias”.

Márcia Goldschmidt disse: "Meu programa não é baixaria, o que as pessoas vêem ali está acontecendo todos os dias", Carlos Massa disse que dava assistência às pessoas e que apelou algumas vezes: “Mas eu só resolvo os problemas das pessoas quando mostro o que elas não querem ver. Eu procuro chocar meso”.

Postar um comentário

0 Comentários