#BBB17: "A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica", diz diretora Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher - geraldopost

Opinião, Informação e Entretenimento.

#BBB17: "A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica", diz diretora Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher

#BBB17: "A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica", diz diretora Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher

Share This
Marcos e Emilly durante discussão (Gshow/TV Globo)
Segundo o jornal O Globo a delegada Viviane da Costa Ferreira Pinto, da Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá, zona oeste do Rio, vai investigar o caso de agressão e tortura psicológica que a participante Emilly tem sofrido dentro do Big Brother Brasil, por determinação da diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio (Deam).

"A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica se enquadra na Lei Maria da Penha", disse a diretora ao jornal, segundo reportagem desta segunda-feira (10), que completou "É assim que tudo se inicia. Ele não a ameaçou de morte, por exemplo, mas houve constrangimento tão forte, que ela ficou acuada".

As brigas de Emilly e Marcos não são nenhuma novidade dentro do programa, mas desde a madrugada de domingo (9) estão mais intensas e fora do limite. Ele chegou a acuá-la em um canto da cozinha da casa, que é ambientado o programa e foram interrompidos por Marinalva.

Na última semana o 'brother' tem se mostrado cada vez mais violento, brigou com todos na casa enfiando o dedo na cara e gritando. No programa exibido ontem (9) a participante, Emilly, chegou a reclamar de dores no pulso após 'apertões dele', a edição do programa ainda mostrou ele mostrando roxos causados por ela.

Ainda segundo a diretora "Somente ela pode registrar o caso numa situação como essa", e esta é justamente a postura com que a emissora está tratando o caso, pois o casal foi chamado, separadamente, no confessionário, e o apresentador Tiago Leifer, disse que Emilly pode registrar o caso a qualquer momento: "A gente falou coma Emilly e reforçou o que é óbvio: ela pode e deve procurar a produção do programa a qualquer momento".

Na segunda-feira passada (3) uma brincadeira chamada "Jogo da Discórdia" a ex-participante do programa Roberta disse que: "Quando se tem machismo, quando se tem quase uma agressão a gente mete a colher sim, isso tanto em relação à Emilly como mulher quanto em relação a tudo o que ele está fazendo à todas as mulheres dentro da casa, ele realmente está perdendo a noção", ao comentar uma resposta de Marcos sobre as brigas do casal - a partir do 56minutos.

ACUADA



Há pouco Marcos ainda acuou a 'namorada' de confinamento ao questioná-la sobre as conversas que ela estava tendo com Ieda e Vivian, na cozinha da casa. "Essa conversação toda aí dá pra dizer que é falsidade ou é convivência?" e ela respondeu, "Eu acho que é ansiedade. A gente está extasiando e fica tagarelando", ele retrucou dizendo que ela não respondeu a pergunta: "Eu te dei dois caminhos [para a resposta]", e ela foi além: "Mas eu só posso responder entre esses dois caminhos, mesmo eu achando que não é nenhum dos dois?".


Uma publicação compartilhada por Emilly Araújo (@emillyaraujoc) em

UM MILHÃO

Emilly conquistou, fora da casa, um feito inédito, até então, com 1 milhão de seguidores no Instagram (neste momento 1.006.377 seguidores) e tem sido comemorado por fãs do programa e pela irmã dela, Mayla Araújo, com quem competiu a permanência da casa na primeira semana do programa.

Pages