Multimarcas "O Clone" de Glória Perez repete o sucesso em reprise

Impossível falar em teledramaturgia nacional sem citar a autora Glória Perez, o maior nome do maior produto cultural do país das últimas décadas e recorde de sucesso de público
A autora que começou sendo colaborado de Janete Clair é um fenômeno de audiência, suas novelas provocam, intigam, divertem e acima de tudo informa o telespectador de situações cada vez mais cotiadiana, apesar de fazer os personagens viajarem do Rio para Marrocos em um piscar de olhos, O Clone é sem dúvida o seu melhor momento na teledramaturgia.
A saga de Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murilo Benício) que se apaixonam e vivem uma história de gato e rato, foi exibida pela primeira vez em 2001, a novela estreou menos de um mês depois do ataque terroristas às Torres Gêmeas, nos EUA, deixando a Globo de cabelos em pé, mas antes mesmo disso tudo, uma trama paralela repleta de sobe e desce atores, transformou os bastidores de O Clone tão interessante quanto às tramas populares, científicas e realistas.
Saem os protagonistas Ana Paula Arósio e Fábio Assunção - que se negaram a fazer a trama após a minissérie Os Maias (2000) - entram dois atores alçados ao sucesso. Antonelli e Benício saíram 'da escalação secundária' para serem transformados em protagonistas de grande sucesso, a partir daí nunca mais foram esquecidos pela alta cúpula de dramaturgia.
Atualmente, O Clone - escalada para salvar a audiência da tarde da Globo, após Sete Pecados (Walcyr Carrasco) - é um dos maiores sucessos da emissora, registra a mesma média de audiência da inédita O Astro (Alcides Nogueira) e prova definitivamente que mesmo após 10 anos de sua primeira exibição, Glória Perez é a rainha da teledramaturgia nacional.

O Clone, último capítulo. Às 14h40.
Cotação: Ótimo.
Tecnologia do Blogger.