Joyce chama Ivan de "filho" e o encontra jogado em uma maca de hospital em "A Força do Querer" - geraldopost

Opinião, Informação e Entretenimento.

Joyce chama Ivan de "filho" e o encontra jogado em uma maca de hospital em "A Força do Querer"

Joyce chama Ivan de "filho" e o encontra jogado em uma maca de hospital em "A Força do Querer"

Share This
Joyce encontra Ivan em uma maca no corredor de um hospital público (TV Globo)
Fortes emoções na novela "A Força do Querer" no capítulo desta quarta-feira (11). Simone (Juliana Paiva), Nonato (Silvero Pereira) e Biga (Mariana Xavier) ficarão preocupado com o sumiço de Ivan (Carol Duarte), esta preocupação também chegará à Joyce (Maria Fernanda Cândido). Após ser covardemente agredido na rua por um grupo de homens, Ivan ficará desacordado por um tempo, sendo socorrido por algumas pessoas que irão chamar a ambulância e um deles atender seu celular.

<iframe src="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FgeraldopostTV%2Fvideos%2F928705147287281%2F&show_text=1&width=560" width="560" height="445" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true" allowFullScreen="true"></iframe>

Ela, continua não aceitando a transição do filho, dirá que quer falar com a dona do aparelho, logo a pessoa do outro lado da linha dirá que se trata de um homem, que foi violentamente atacado a deixando em desespero.

No hospital Joyce vai encontrá-lo em uma maca no corredor aguardando atendimento: "Meu filho!" e desesperada dará o primeiro passo para a aceitação do filho. 


REALIDADE NUA E CRUA

Esta realidade, é mais uma das abordadas pela autora Gloria Perez em "A Força do Querer", a autora mostra como que o "querer" das pessoas não são aceitos pela sociedade, que impõe normas e comportamentos.

A violência contra travestis, homossexuais, transgêneros é umas mais latentes no país, que segundo relatório da ONG Transrespect o Brasil é o país mais perigoso para as pessoas Trans no mundo. Com 938 mortes entre 1º de janeiro de 2008 e 31 de dezembro de 2016, seguido pelo México (290 mortes) e Colômbia (115 mortes). Levar essas discussões para a casa de milhões de brasileiro é uma questão de saúde pública, os transexuais além de serem aceitos pela sociedade precisam ser respeitados.

Para Berenice Bento, autora do livro "O que é transexualidade" a "A transexualidade é uma experiência identitária, caracterizada pelo conflito com as normas de gênero”. Emoldurada por questões como orientação sexual e o uso de vestimenta “de homem” ou “de mulher”, por exemplo, Ivana vive situações, embora dentro de um folhetim clássico, questão de saúde pública.

Pages