Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Responsive Advertisement

Glória Perez relembra o 11 de setembro e os bastidores de 'O Clone'



A autora Gloria Prez, que volta ao ar no dia 21 de setembro com a reprise de A Força do Querer, fez uma postagem relembrando os atentados terroristas do 11 de setembro de 2001: "Já se vão 19 anos. Vi (pela tv), o primeiro avião atingindo a torre. E enquanto os repórteres procuravam entender, supondo que aquilo fosse um acidente, veio o segundo. Eu achei que estava começando a terceira guerra. E você?", publicou a autora.

Uma de suas colaboradoras na época, comentou e as duas trocaram lembranças dos bastidores na época: "Eu estava no Projac já, era cedo e vi pela TV. Imediatamente telefonei para a Tiza Oliveira ! Estávamos fazendo 'O Clone' e eu era responsável pela pesquisa de arte do núcleo árabe, hábitos e costumes e culinários, figurino... E pelo núcleo do Dr Albieri (pesquisa de células tronco e clonagem humana) foram dias tensos...", relembrou Myriam Mendes"Eu liguei para o Mário Lucio [Vaz]. Faltavam dias para a estreia: 'Mário, vão cancelar a novela?', 'E ele com aquele jeitão dele: 'Porque?'", comentou a novelista.

"Glória Perez e eu, cuja pesquisa do mundo árabe , por vezes encontrava as portas fechadas, devido a ser mulher, depois do acontecido, quando recebemos a ordem de continuar, todas as portas se abriram! Parecia que todos queriam ajudar a mostrar que a cultura árabe não era essa violência! Foi um produto incrível e te agradeço sempre e à Tiza Oliveira, por ter feito parte deste trabalho! Aprendizados mil!", completou a pesquisadora.


A novela O Clone estreou duas semanas depois dos atentados terroristas, no lançamento da novela a autora chegou a ser questionada se o tema central (clonagem humana) seria modificada ou teria sido ofuscada pelos atentados: "Eu e o Jayme (Monjardim, diretor do núcleo do qual faz parte 'O Clone') já respondemos isso umas cem vezes, e, antes que alguém pergunte de novo, a trama não será alterada. Você só querem saber se o Marrocos [país islâmico onde foi feita parte das cenas da fase inicial da novela] foi diminuído, só vieram com essas perguntas para uma novela tão bonita".


Ainda segundo a matéria da Folha (23/9/2020), surgiram boatos na época que a presença de muçulmanos seria diminuída e até mesmo o cancelamento da novela estava cogitado. "Nós temos de dizer não ao preconceito, parar de alimentar essa ignorância mostrando pessoas comuns. Terrorismo há em todos os países e entre todos os povos, e os muçulmanos são pessoas como nós", disse a autora segundo a reportagem.

Postar um comentário

0 Comentários